Outubro Rosa- Um pouco da minha experiência

by - 23:32

Hoje volto a escrever um pouquinho aqui no blog abandonado por um motivo muito importante: quero aproveitar o mês de outubro, ou Outubro Rosa (que já está no fim), para fazer um alerta. Ouvimos muitas histórias de pessoas que lutaram ou lutam contra o câncer de mama, mas muitas vezes não damos a devida atenção a esse assunto tão sério. Meu post de hoje contará um pouco da minha história de tratamento e prevenção e também servirá para alertar para que não tenham a mesma atitude inicial que eu tive.

#Pinklips

Era 2009, eu tinha 18 anos e descobri um pequeno nódulo em uma das mamas. A princípio não dei importância, mas meu namorado sabia e ficou preocupado. Não quis falar para mais ninguém, pois achava que não era nada sério e que de alguma forma iria desaparecer. Namorávamos a distância nessa época e Gabriel ficava ainda mais preocupado, me pedia para ir ao médico, mas nunca fui. Ele brigava comigo algumas vezes por esse motivo, porém ele tinha razão, porque eu estava sendo negligente com minha saúde. No fundo acho que eu tinha medo de descobrir o que era.  Em 2010 ou 2011 falei com minha mãe sobre o assunto e até fui a uma consulta médica quando estava de férias em Ubatuba, mas “não deu tempo” de realizar os exames necessários. 

Com o tempo percebi que o nódulo (que até então pensava ser apenas um) aumentara de tamanho. Certo ano, vendo as campanhas do Outubro Rosa pensei em ir até um posto de saúde, estava decidida. Acordei, me arrumei e não fui, mais uma vez.

No ano seguinte, saindo do trabalho vi o Ônibus da mulher, da Prefeitura de Sorocaba, e resolvi buscar informações sobre postos de saúde. Acabei fazendo exames ali mesmo e fui encaminhada para a mamografia.

Todos estranharam, pois pela minha idade não era necessária a mamografia. Estava com medo do procedimento, mas ocorreu tudo bem. Depois fiz também a primeira ultrassonografia de mamas. A médica confirmou que não era mesmo necessária a mamografia, e me orientou a fazer o acompanhamento médico a cada seis meses, pois o saldo foi (é) de 5 nódulos no total.

No final de 2012 fiz a biópsia (punção). Esse foi o momento de maior medo, confesso. Acho que fiquei com tanto medo que acabei tornando a situação mais preocupante do que deveria ser. Felizmente, o resultado mostrou que são fibroadenomas benignos. 

Mesmo após esse diagnóstico continuo fazendo exames de ultrassonografia e consultas médicas a cada seis meses. Em todo esse tempo fiz o tratamento pelo SUS, e fui muito bem atendida. Tive consultas com duas médicas, o que me tranquilizou, pois as duas me deram as mesmas respostas.  


Deixei esse post para o final do mês Rosa só para registrar que já fiz minha parte nesse mês. Fui a uma nova consulta. Ainda preciso fazer exames, mas a médica me orientou a fazer o autoexame sempre. Somente com o autoexame posso perceber possíveis alterações durante os seis meses e informar isso a médica.


Para concluir, contei esse pouquinho de experiência para alertar às mulheres que ainda tem medo de procurar ajuda médica. Mais uma vez, digo: não façam como eu, que demorei a procurar o tratamento. No meu caso descobri que são benignos, mas não conte com a sorte, procure um médico, por favor!

Vamos amar a vida! Que o ano todo seja rosa.




You May Also Like

0 comentários

Aqui é o seu espaço! Aproveite para comentar, falando o que gostou, o que não gostou ou simplesmente deixe um recadinho, ficarei muito feliz!
Beijos!

Instagram